Área Reservada | Downloads | hemoCalculadora
   

Compatibilidade sanguínea

Prova cruzada e tipificacao


Estas provas podem ser realizadas no BSA mediante o envio de um tubo de EDTA com 1 ml de sangue total. A tipificação sanguínea identifica o tipo de antigénios presente na membrana dos eritrócitos. Todos os dadores estão devidamente tipificados. A tipificação dos recetores também deve ser realizada, de forma a administrarmos sempre sangue compatível e evitarmos roturas de stock de unidades DEA 1.1 negativo. Os cães DEA 1.1 negativo ou cães não tipificados devem receber sangue DEA 1.1 negativo. Já os cães DEA 1.1 positivo poderão receber qualquer tipo de sangue da mesma espécie.

A prova cruzada não identifica o grupo sanguíneo mas testa incompatibilidades serológicas, isto é, deteta a presença in vitro de níveis significativos de anticorpos contra os antigénios eritrocitários passíveis de induzir hemoaglutinação ou hemólise. A prova cruzada maior deteta anticorpos no plasma do recetor contra os eritrócitos do dador. A prova cruzada menor deteta anticorpos no plasma do dador contra os eritrócitos do recetor. O resultado de incompatibilidade manifesta-se pela aglutinação ou lise dos eritrócitos. A ausência destas ou a formação de rouleaux indicam a existência de compatibilidade. Uma prova cruzada maior incompatível é da maior importância, visto indicar que os eritrócitos transfundidos vão ser destruídos pelos anticorpos do plasma do recetor, causando uma reação hemolítica aguda potencialmente fatal. Uma prova cruzada menor incompatível é menos relevante visto o volume de plasma do dador se diluir no recetor podendo, no entanto, ocorrer reações adversas, principal no caso de transfusões de sangue inteiro ou plasma de gatos tipo B a gatos tipo A.

Sistema DEA (cão)


Estão descritos sete grupos sanguíneos principais no cão, cada um deles identificado com a sigla DEA (dog erythrocyte antigens), seguida dos números 1.1, 1.2, 1.3, 3, 4, 5, 6, 7 e 8. Um cão pode apresentar ou não cada um dos antigénios referidos, classificando-se como positivo ou negativo. Os grupos sanguíneos que comprovadamente podem provocar reações hemolíticas agudas são o DEA 1.1 e 1.2, no entanto só está provada a importância clínica do primeiro. Os antigénios DEA 3, 5 e 7 poderão induzir reações retardadas e menos exuberantes. Quatro dias após a primeira transfusão de sangue DEA 1.1 positivo a um recetor negativo, desenvolvem-se anticorpos anti-DEA 1.1 passíveis de induzir uma reação retardada, que pode conduzir à destruição prematura extravascular dos eritrócitos infundidos. Nas transfusões seguintes com sangue DEA 1.1 positivo, o recetor já estará sensibilizado, podendo desenvolver de imediato uma reação hemolítica grave. Esta sensibilização só poderá ocorrer por transfusões anteriores. Está estimado que 25% das transfusões primárias aleatórias induzem a produção de anticorpos anti-DEA 1.1.

Os cães apresentam anticorpos naturais apenas contra os antigénios DEA 3, 5 e 7. Apesar destes não induzirem hemólises agudas graves, poderão surgir algumas reações retardadas, obrigando a monitorização cuidada mesmo na primeira transfusão.

Sistema AB


Nos gatos existem 3 grupos sanguíneos - A, B e AB. Estes apresentam sempre algum dos antigénios e todos eles induzem reações transfusionais pelo que não há animais considerados dadores universais. Além disso, os anticorpos estão presentes naturalmente nos gatos a partir dos três meses de vida, não necessitando de uma exposição prévia a antigénios para se formarem. Os gatos tipo B têm anticorpos anti-A em grandes títulos e com grande poder de ligação aos antigénios A. Estes anticorpos são responsáveis pelas reações transfusionais muito exuberantes. Uma transfusão de 1 ml de sangue tipo A a gatos tipo B pode causar uma reação fatal, mesmo sem sensibilização prévia. Os gatos do grupo A têm anticorpos anti-B em pequenos títulos e com fraco poder antigénico, não chegando a induzir reações hemolíticas graves. No entanto, as reações retardadas poderão diminuir o tempo de vida dos eritrócitos transfundidos (de 39 dias para 5-7 dias) e originar sinais moderados de anemia hemolítica.